É da abundância do coração que a boca fala, Lc 6:45; Mt 15:18.

A fala é a faculdade que distingue os homens dos animais; é o sinal de sua personalidade… Inclusive o caráter de uma pessoa é revelado pela própria maneira de falar e se expressar.

Cl 3:8 diz Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Paulo está referindo-se nesse texto ao abuso de boca suja, pois o termo grego significa literalmente a “feio”, “vergonhoso”, “vil”.

“Boca suja” é algo contrário à santidade na vida cristã. A não ser que promova a edificação, nenhuma palavra deve sair de nossa boca, Ef 4:29; 5:3,4.

A conversa do cristão deve ser sempre uma conversa agradável; visando o proveito do próximo, beneficiando-o com palavras dignas e edificadoras, em contraste com a linguagem dos incrédulos.

Existe um versículo que não pode ser esquecido pelo maldizente. Mt 12:36 que diz: Digo-vos que de toda a palavra frívola que proferiram os homens, dela darão conta no dia do juízo.

Frívolo significa leviano… Torpe é o mesmo que “podre”, “decadente”, ou seja, “corrupto”, “imoral”, e faz com que o cristão fique viciado em usar sua boca para o que não presta, algo fétido como peixe podre. Absolutamente insuportável. Quem já demorou a jogar fora o lixo do peixe depois de tratado, sabe do que falamos aqui.

Que Deus abençoe nos livre desse tropeço, e que da nossa boca só saia coisas boas e agradáveis ao Senhor, Sl 45:1

Pr. Alexandre

Conversação torpe tem cheiro de peixe podre

Artigos Relacionados

Classificado como: