É cada vez mais frequente nas famílias da atualidade: avós que assumem a criação de netos. Até que ponto isso faz bem? Os avós já não estariam cansados demais para dar conta dos netos? Ele já não criaram os filhos? Educaram e sustentaram? E agora, mais essa responsabilidade?

Quais as implicações da criação de netos pelas avós, uma vez que o ciclo de vida familiar tradicional não prevê que mulheres tenham que assumir a criação de uma criança na fase tardia?

Você acha que está certo: avós criarem os netos?

Pv 1:8,9 Filho meu, ou o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe. Pv 15:20 O filho sábio alegra a seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe. Pv 17:25 O filho insensato é tristeza para o pai e amargura para quem o deu à luz. Observe que não existe nenhuma menção dos avós nesta relação; nem em provérbios, nem qualquer outro Livro das Escrituras Sagradas. Compreendo a luta pela sobrevivência. Louvo a Deus pela vida das mulheres que são mães e ainda têm que trabalhar fora. São verdadeiras heroínas; mas preciso honesto em dizer que tenho visto os avós sobrecarregados. Sobrecarregados fisicamente por terem que cuidar dos netos: dar banho, cuidar, alimentar, levar na escola e ir buscar, levar no médico, fazer as tarefas da escola, etc. Sobrecarregados emocionalmente por terem que educar, disciplinar os netos, ouvir suas afrontas e má-criação. Sobrecarregados financeiramente, pois muitos avós ainda têm que ajudar no sustento dos netos: vestir, calçar, pagar a escola, o lanche, e ainda fazer empréstimos para os filhos em bancos… Observe como tem crescido o assédio para emprestar dinheiro aos aposentados e pensionistas. Qual será a razão disso? Sem dúvida, para sobrecarregar os idosos financeiramente em nome dos filhos…

Pesquisas apontam diversos problemas relacionados aos pais das crianças que motivam as avós a assumirem a criação dos menores: pais adolescentes despreparados para cuidar dos filhos, desempregados, usuários de drogas, em conflito com a lei, portadores de doenças mentais, falecidos precocemente, separados, recasados sem a aceitação das crianças por parte do novo cônjuge e ainda, abuso infantil e/ou abandono por parte dos progenitores.

A maioria dos estudos sobre o tema apontam para os efeitos negativos sobre diversos âmbitos da vida das avós que criam os netos, como: sobrecarga financeira, conflitos com os filhos devido à divergências na educação das crianças e às vezes pela custódia legal dos netos. Além disso, queda na qualidade de saúde física e emocional das avós, com incidência de depressão e baixa saúde percebida, interferência na vida social e familiar, cansaço e esgotamento emocional.

Ao assumir um neto para criar, levou as avós a ter que remanejar suas vidas nos aspectos profissional, financeiro e familiar, para darem conta do aumento das despesas e tarefas domésticas.

Enfim, não há como negar a sobrecarga dos avós. Quem deve criar são os pais. Podem contar com ajuda, sim; apoio, sim; afeto, sim; mas criação não! “Quem pariu Mateus, que balance”.

Pr. Alexandre

Quem pariu Mateus, que balance

Artigos Relacionados

  • Nenhum Artigo Relacionado
Classificado como: