“Não sejas frequente na casa do teu próximo, para que não se enfade de ti e te aborreça”, Pv 25:17.

Ora veja quanto contrassenso! Vivemos no melhor dos tempos em matéria de tecnologia; na era da cibernética; da comunicação global, no entanto, e, ao mesmo tempo, no pior dos tempos pela falta de prioridades.

Nessa teia curiosa de saber da vida alheia e exibir a própria vida íntima, que deveria ser privada, milhares de internautas empregam a maior parte do seu tempo naquilo que é vão; para depois reclamar que as pessoas estão se metendo em sua vida. Resultado: Preferimos prestar mais atenção em quem está longe, clicando sem parar; do que enxergarmos quem está perto, ao alcance da mão.

São tantos os que nas redes sociais navegam pelos mares bravios das paixões perigosas, abrindo janelas para a sedução. São tantos os perfis falsos, bisbilhoteiros da vida de terceiros, que dá até medo. Há aqueles que ABREM todos os canais de comunicação com os desconhecidos e FECHAM os canais de comunicação dentro de casa. São capazes de aproximarem-se de estranhos, mas afastam-se da própria família. Muitos casamentos estão sendo minados pelo mau uso das redes sociais. Muitos homens e mulheres, jovens e adolescentes já não oram, nem leem a Bíblia porque passam o tempo todo compartilhando banalidades.

É tempo de parar e refletir. Tempo de remir o tempo (Ef 5:16), e aproveitar essa janela aberta para o mundo, a fim de pregarmos o Evangelho, usando essa ferramenta para exclusiva glória de Deus.

Pr. Alexandre

WhatsApp e Facebook: PERIGO À VISTA

Artigos Relacionados

Classificado como: