Crente pode beber vinho?

Crente pode beber vinho? Eis algumas respostas comuns: (1) Claro, Jesus não transformou água em vinho? Certamente bebeu dele também… (2) Sim, faz bem ao coração… (3) Mas que bobagem essa pergunta, basta verificar o que diz Salomão em Ec 9:7 Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe gostosamente o teu vinho, pois Deis já de antemão se agrada das tuas obras… Será mesmo assim hein?! Então vamos às Escrituras.

Em primeiro lugar, nós devemos entender que tipo de vinho Jesus bebeu, fruto de seu primeiro milagre na terra (João Cap.2); pois o vinho, na Bíblia, faz referência tanto ao vinho alcoólico, como ao puro suco da uva.

Pv 20:1 diz: O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora (provoca confusão); todo aquele que por eles é vencido não é sábio. Essa é uma referência ao vinho alcoólico.

Agora leiamos Is 65:8 Assim diz o Senhor: Como quando se acha vinho num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos e não os destruirei a todos. Esse texto faz clara referência ao puro suco proveniente da uva.

Como nós podemos saber que o vinho que Jesus transformou não era o alcoólico?

Através de Hb 2:15, texto que Jesus sabia bem… e assim ele diz: Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro, misturando à bebida o seu furor, e que o embebeda para lhe contemplar as vergonhas.

Se Jesus tivesse dado vinho alcoólico para aquelas pessoas na festa de Caná da Galiléia, Cristo estaria caindo na maldição de Hb 2:15, aí Cristo seria um pecador e não poderia ser um Salvador. Veja que o vinho oferecido por Jesus, através de seu milagre, era melhor do que o primeiro vinho oferecido pelos donos da festa. E não há qualquer registro de embriaguez ou balbúrdia; todos estavam sóbrios e cordatos, ordeiros e decentes.

Não há qualquer dúvida de que aquele vinho oferecido por Jesus, provado pelo mestre-sala, era o puro suco da uva. Era o suco existente na uva e não numa garrafa, fermentado e alcoolizado. Enfim, engane-se quem quiser – pois quem bebe, sabe que não pára no primeiro gole. O crente, temente a Deus, não bebe, pois sabe que é pecado. O Espírito Santo lhe testifica isso no coração.

Pr. Alexandre