Decida logo: pare de enrolação – CRENTE ou CRISTÃO?

Alguém disse que A GENTE É A SOMA DAS NOSSAS DECISÕESLembrei essa frase dentro do supermercado quando fui comprar maionese, banda-id e iogurte. Tem maionese tradicional, light, premium, com leite, com ômega 3, com limão, com ovos. Band-aid, existe de todos os formatos e tamanhos, nas versões transparente, extra transparente, colorido, temático, flexível. Para as mulheres tem absorvente com aba e sem aba, com perfume e sem perfume, cobertura seca ou cobertura suave… Tem creme dental contra o amarelamento, contra o tártaro, contra o mau hálito, contra a cárie, contra as bactérias. Assim como antes era mais fácil fazer compras, também era mais fácil viver.

Para ser feliz, bastava estudar (magistério para as moças), fazer uma faculdade (Medicina, Engenharia ou Direito para os rapazes), casar (com o sexo oposto), ter filhos (no mínimo dois) e manter a família estruturada até o fim dos dias. Era a maionese tradicional.

Hoje, existem várias “marcas” de felicidade. Casar, não casar, juntar, ficar, separar. Homem com mulher, homem com homem, mulher com mulher. Ter filhos biológicos, adotar, inseminação artificial, barriga de aluguel – ou simplesmente não ter filhos – é a diversidade.

Fazer intercâmbio, abrir o próprio negócio, tentar um concurso público, entrar para a faculdade. Mas estudar o quê? Só de cursos técnicos, profissionalizantes e universitários, há centenas. Computação Gráfica ou Informática Biomédica? Editoração ou Ciências Moleculares? Moda, Geofísica ou Engenharia de Petróleo?

A vida padronizada (tradicional) podia ser menos estimulante, mas oferecia mais segurança, era fácil “acertar” e se sentir um adulto. Já a expansão de ofertas do Séc.XXI tornou tudo mais empolgante, só que incentivou a infantilização. E isto atinge a espiritualidade, a fé em Deus, a confiança incondicional, a dependência do Senhor do Sl 23.

Muitos crentes modernos parecem ter 10 anos menos. Quem tem 17, age como se tivesse 7. Quem tem 28, parece ter 18. Quem tem 40, 50, 60, a mesma coisa.

Por um lado, é ótimo ter um espírito jovial, mas até quando se pode adiar a maturidade? Até quando a Igreja que Jesus veio buscar e salvar vai agir como se não soubesse que Ele é santo? E que nosso Salvador virá em breve buscar os fiéis da terra?

Hoje tem Trio Elétrico nas ruas, festejando o carnaval com folhetos e Bíblias nas mãos… É assim mesmo que se evangeliza?

Tem crente que toma cerveja, que bebe vinho com amigos depois do culto, toca um pagode santo ao som do cavaquinho com músicas de Zeca pagodinho “deixa a vida me levar” – isso não seria enganar-se a si mesmo?

Quem quer ser diferente como Jesus, tem que ter coragem de ser chamado de antiquado; tem que ter coragem de dizer NÃO. Não somos apenas a soma das nossas escolhas, mas também das nossas renúncias, e renunciar o mundo e suas ofertas, seus manjares, deus deleites. Crescer na fé é tomar decisões em conformidade com a Palavra de Deus e, não ter dúvida de agradá-Lo. Num mundo igual, insosso, míope, deteriorado, misturado, lamacento, onde você se encaixa?

Lembre-se de que não era nada fácil ser temente a Deus nos dias de Daniel. Mas ele foi. E daí? Então, pare de enganar-se e decida-se: LUZ ou TREVAS. Quem é você, afinal?

Pr. Alexandre